quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Caligrafia não é para os fracos!!!

Gentem do céu, olha eu aqui de nanquim até o nariz!
Eu e minhas ideias brilhantes, como sempre!
Eu imaginei que aprender caligrafia fosse uma coisa basiquinha, sem maiores problemas e.... já dei PT na mesa da sala, no notebook, nas folhas em branco , nas folhas escritas... enfim.... nanquim é a nova tinta aqui no pedaço.
Eu não sou delicada, nunca fui! Então já dá para imaginar que esta sendo meio complicado o aprendizado.
Mão pesada - meu sobrenome!
Estou tendo que reaprender a escrever, e nessa de reaprender estou descobrindo muita coisa.
Para fazer os exercícios de caligrafia estou tendo que ter muita disciplina, calma e foco.
Tentei um dia fazer os mesmos porém sem estar focada e foi uma perda de tempo, papel, nanquim e quase quebrei a pena pois não estava conseguindo de forma alguma entender por quê a bonita não estava escrevendo...
Mas, nada como uma noite entre dois dias e tudo se resolveu.
Fui para a internet, olhei trocentos vídeos e depois de muito observar vi onde estava errando.
Excesso de tinta na pena, pena posicionada erradamente e ...tcharam... agora estou no caminho correto outra vez.
Estou assitindo a vários vídeos na internet, tanto os do site da Julia, como de outras artistas gringas. Brasileira, encontrei uma que é dona de uma loja de materiais artísticos e que tem vários vídeos também. Ela é a Ana Barros, e estou deixando o link aqui caso alguém se interesse.
Bem gentem, hoje tem mais "fotenhas", então vamos lá...


















Nas folhas de exercício tem o início deles com a caligrafia da professora, e na sequência vem a minha belíssima letra caligráfica!! Dá bem para vocês perceberem o que é de minha autoria... é só abrir a foto que dá para ver direitinho a belezura do acalcado da coitada da peninha G!
Eu estou numerando as páginas de acordo com os dias de estudo, tem dias em que consigo fazer mais de 03 páginas, outros não. Mas estou conseguindo enxergar uma melhora nos exercícios.
Mas a conclusão a que já cheguei é que: tem que praticar todo dia, e não adianta ficar muitas horas também.
Eu acabo me empolgando e facilmente fico de 3 a 4 horas , mas passou disto... já sinto que não estou mais produzindo nada, então é hora de limpar as penas e guardar o entusiasmo para o dia seguinte.
Bem gentem, é isso aí, conforme eu for evoluindo, volto trazendo up date para vocês.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Iniciando o Curso Free de Caligrafia

Oie gentem, como prometido vou contar para vocês sobre minhas primeiras impressões sobre o curso de Caligrafia que encontrei na internet.
Bem em postagem anterior descrevi a vocês sobre a artista alemã Julia Bausenhardt que ensina caligrafia em seu site.
Eu iniciei pelo free, e depois que terminá-lo irei me inscrever no curso pago que ela tem na internet. É tipo curso a distância. Descrevi lá na postagem anterior.
Eu comprei os materiais básicos para iniciar, papel próprio para caligrafia, tinta nanquim e como sempre... me meti a aprender lendo e assistindo vídeos na internet.
No começo quase desisti!
Sim, pois não conseguia carregar a pena com a tinta, o que diria de escrever algo com ela!
Mas, como a própria Julia escreve em seu site... persistência deverá ser sua companheira se você quer realmente aprender. E também os exercícios, pois sem eles sua caligrafia não ira melhorar jamais.
Comecei pelo começo, imprimi as folhas de exercício que ela disponibiliza no site, bem como as folhas guias para serem colocadas abaixo da folha que iremos treinar.
Essas folhas guias servem para nos manter dentro das linhas, e uma delas tem a angulação de 45 graus que é o ângulo em que a maioria dos tipos de escritas é realizado.
Bem, mas chega de escrever e vamos às fotos não é gentem...


Aqui estão as bonitinhas... lendo muito em vários sites principalmente de fora do Brasil, descobri que essas são as penas mais indicadas para quem está iniciando.
Todas são Leonardt, e a que se começa a aprender algo é a segunda da esquerda para a direita. Essa é a pena G, ela é super flexível e para quem esta iniciando é a indicada exatamente por ser flexível.
as outras eu irei descrever em outras postagens.


as penas devem ser colocadas neste cabo, então... além das penas você deverá ter este cabo para fixá-las. Aqui também está o nanquim que comprei. Como em minha cidade não encontrei pena alguma que servisse para iniciar, tive que comprar pela internet. Pesquisei bastante e encontrei uma loja que vende este tipo de material. A loja é de Vinhedo, no estado de SP, pesquisei ela no Facebook, no Reclame aqui, e arrisquei. Sou muito criteriosa quando vou fazer alguma comprar pela internet. Gostei bastante dessa loja, Artistika, a compra foi super fácil, e a entrega bem rápida... quer dizer..., a loja fez a sua parte não é mesmo... mas os nossos Correios insistem em pisar na bola, mas chegou tranquilo, em 3 dias  e super bem embaladinho. Comprei o nanquim, o cabo e as 4 penas.


A caixinha com a compra...


Penas, cabo e nanquim super bem protegidos.


Depois de todo o material recebido, é hora de botar a pena no papel! O papel que comprei é o Opaline 120g, gostei bastante. Como dá para se ver na foto... a mesa ficou uma zona a parte né gentem! Mas foi só no início, agora eu já estou mais organizada.


Com o site aberto nos vídeos e o papel e a pena nas mãos lá fui eu!
Primeira página de exercícios, olhem só a pressão que a pessoa colocou na pena. Ainda bem que ela é para iniciantes, pois caso contrário já teria entortado a pena  e rasgado todo o papel. Eu sempre coloquei muita força para escrever. Tanto que caneta ponta fina nem passava de longe no meu material escolar. Sempre era a Bic ponta grossa e lápis, se bobear o 2B, tipo toco de carvão!!!


Aqui, sai dos riscos e fui para os primeiros ensaios do que seriam letras, creio eu, mais para frente...


Final do exercício anterior, e já estava toda pintada de preto...


E aqui... as três páginas de exercícios que me determinei neste dia de estréia.
Gostei bastante da experiência, apesar de ter tomado um baile da pena G, mas no final, ao olhar os vários tracinhos que fiz e durante o percurso pude entender que a pressão que imponho a pena resulta em um traço ou não. Ou seja, se coloco muita pressão, simplesmente o traçado não existe pois a pena não libera a tinta para sua extremidade... então... primeira aula prática: controle da pressão!

Bem gentem, foi isso meu primeiro contato com a Caligrafia Artística.
Espero que com o passar dos exercício eu possa melhorar mais e mais e quem sabe... um dia láaaaa no futuro tentar escrever em um convite de casamento com aquelas letras maravilhosas que agora já sei seu nome: Copperplate!
Meta para 2018!!!




quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Caligrafia para Relaxar

Oie gentem, e a palavra do ano é....RELAXAR!
Mas Carmen, o ano nem bem começou e você já quer relaxar?!
É isso aí gentem!
Vou tentar levar este ano da forma mais relaxada, olha lá hein... relaxada de tranquila, serena, sem estresse....que eu conseguir.... que Deus me ajude!
Então gentem, no final de 2017 estava em uma livraria aqui da minha cidade, finalmente veio para cá uma livraria decente,  e olhando os títulos eis que me deparo com o : Caligrafia para Relaxar, cultivando a calma e a alegria com a arte da escrita à mão. Neste link que deixei dá para se ver algumas páginas disponíveis pelo Googlee e se ter uma ideia de como é o livro.
Quem edita livros é muito esperto mesmo né?!
Os caras fazem uma capa que não tem como não chamar a atenção, desde o título, até a arte final.
E eu fui super atraída para esse livro.
Confesso que peguei, passei as páginas, vi do que se tratava, me interessei e simplesmente não comprei.
A "LOKA"!
Era dia 24 de Dezembro, já estava cansada, pensei... mais um livro... eu ainda nem terminei os de colorir e vou comprar mais um? E esse foi o motivo de eu não comprá-lo naquele dia.
Daí é claro, a pessoa se arrepende e na primeira oportunidade que tem, vai parar em outra livraria fora de Mogi achando que iria encontrar o livro.
E encontrou? Claro que não né!
Resumindo... depois de uma semana do Natal, ganhei o livro!
Demorei mais uma semana para pegar ele de jeito e começar a relaxar com a caligrafia.
São 46 exercícios, e em cada um deles existe uma frase chave que nós motiva e exercícios para aprendermos a escrever as diferentes formas, também tem desenhos impressos que a gente pode ou não colorir.
Este livro é uma publicação da Sextante, e creio que eles não arriscaram com o último livro da Johanna Basford, exatamente para arriscar com este.
A autora é a Amy Latta, uma artista plástica e blogueira. Ela também tem um site onde ensina sobre caligrafia.
Mas a maneira dela é totalmente diferente da Julia Bausenhardt.
Diria até que não tem nada de semelhante. Vale a pena vocês darem uma passada pelos links.
Este é o site dela, e este é o blog
Eu me empolguei com o livro, e sai comprando lápis, borracha, régua nova, e até um caderno de caligrafia que encontrei na Kalunga. Gostei do caderno, pois não é daqueles pequenos todos molengas, é um caderno tipo universitário de uma matéria, só que com as pautas especiais para caligrafia.
Sempre que começo um dos exercícios do livro, faço pelo menos uma página inteira de caligrafia para treinar minha letra.
Minha letra já foi bonitinha no passado bem longínquo, e depois da universidade virou um garrancho só! Sabe aquela coisa de copiar tudo que o professor fala em aula? Então... naquela época ninguém tinha celular para gravar a aula e depois escutar com calma em casa, então... tinha que escrever tudo em garrancho e abreviado o que as vezes acarretava o não deciframento do que se escreveu! Quem nunca???
Bem gentem, então... o livro veio a calhar, pois vou relaxar, treinar minha caligrafia, aprender novas técnicas e continuar colorindo.
Mas Carmen, você está se metendo a aprender Caligrafia Artística?
Bem gentem, se eu não fizesse isso não seria eu não é mesmo!!!
Depois que iniciei com o livro, vi que era a hora certa de eu investir em um novo aprendizado.
E la´fui eu... pesquisar materiais para caligrafia iniciante e .....
isso é assunto para as próximas postagens é claro!

Olha que capa mais linda!

Primeiro exercício...

segundo exercício...

terceiro exercício...

quarto exercício...

quinto exercício...

 treino no caderno de caligrafia... esta foto e as demais abaixo...






E a nova invenção da Carmen é....

Oie gentem, e lá vamos nós.
Sim!
Pois vocês irão junto a mim nessa nova invenção para a cabeça...
Então... eu sempre gostei de coisas de papelaria, isso é claro até na descrição do Blog.
E uma das coisas que sempre achei belíssima e que sempre quis aprender é a Caligrafia Artística.
A pessoa pensava... tinta, uma bico de pena e papel!
Na na ni na não!!!
A coisa é muito mais profissional do que se imagina.
Saí pesquisando várias coisas na internet e descobri que aqui no Brasil, quase não se tem material para pesquisa. Existem sim, pessoas dedicadas à arte, mas são poucos os vídeos e textos disponíveis.
Chegue até uma pessoa que ministra cursos em SP, mas realmente os valores são um tanto quanto fora da realidade.
Daí fui atrás de material fora do Brasil, e é claro... tem muita coisa.
Pesquisando, encontrei uma pessoa da Alemanha que possuí um blog e disponibiliza muita coisa free por lá. Ela também tem cursos para quem se interessa em aprender mais.
O mais legal é que são cursos on line e que você ainda pode escolher para ter ou não o feed back dela.
Eu como sou auto didata, resolvi arriscar primeiro com o curso free.
Se me sair bem, daí irei para o curso on line que é pago, mas nem se compara com os valores de cursos presenciais aqui no Brasil. Tudo bem, que não é uma escola, como o Senac por exemplo, mas é uma artista que tem vários trabalhos por aí e que tem a maior boa vontade de ensinar, e muito.
Em poucas aulas já aprendi vários truques para a coisa fluir bem e não desistirmos no meio do caminho.
E ela é super calma e tranquila no ensinar.
Vou deixar o link aqui para quem se interessar. Este é o dos cursos, este é a página dela na internet, e este é o blog dela.
Ah, é tudo em inglês, daí a gente já sai com dois cursos em um não é mesmo?!
Mas Carmen... o que te despertou para esse novo aprendizado?
Ahá....foi depois de ter ganhado este livro aqui: Caligrafia para Relaxar, cultivando a calma e a alegria com a arte da escrita à mão!
Mas isso é assunto para a próxima postagem!

Aguardem que esse é só o aquecimento para mais uma das minhas....

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Kefir e Iogurte Infinito... que raios seriam isso?

Gentem, em minhas "fuçações" pela internet, eis que um belo dia me deparo com um artigo sobre o tal do Kefir.
Daí, a pessoa que já não inventa normalmente... vai se meter a descobrir quem poderia doar... sim, pois Kefir ou Infinitos devem ser doados e jamais comercializados...e não é que consegui.
Bem deixa eu contar a estória direito não é?!
Começando do começo... Kefir e Infinito são nada mais nada menos que probióticos.
Li muto sobre serem usados no acompanhamento de diversas patologias, entre elas o câncer.
E isso foi o "start" para que eu fosse atrás de uma doação.
Conversando com amigas, encontrei uma que a irmã também teve câncer de mama e que estava fazendo uso do tal Kefir.
Nem preciso dizer não é mesmo... fiquei como uma sarna atras dessa doação.
Mas eram tantas coisas acontecendo que nunca calhava dessa amiga conseguir pegar a muda para mim.
Bem, resumindo, passaram-se vários meses e um belo dia... eis que minha amiga chega com a doação.
Fiquei super entusiasmada, e já fui logo buscando tudo sobre Kefir na internet... como reativar, como cuidar, como congelar, como utilizar, receitas, etc, etc, etc... até que cai de para quedas em um grupo no Facebook.
Daí então estava realmente esclarecido toda a coisa sobre o Kefir, e ainda de quebra... comecei a almejar o tal do Iogurte Infinito ( infinitamente mais fácil de manejar do que o Kefir).
Bem gentem, resumindo, com o uso do Kefir por 4 meses, e olha que era só o cream cheese que eu preparava a partir do leite fermentado, acabei saindo dos 71 quilos para os  63 quilos.
Até minha oncologista questionou a perda de peso, inclusive me carregou de exames para ver se de repente minha tireoide não havia surtado.
E o resultado, quer dizer... os resultados... foram todos normais e realmente foi o tal do Kefir quem levou a essa perda de peso.
Não sei se para todas as pessoas ele funciona da mesma maneira. Mas para meu organismo ele foi excelente.
Meu intestino é uma praga, não funciona nem a pau... dias de preguiça sempre e como resultado... mal humor sempre também.
Com o uso do Kefir ele começou a entrar na linha.
Mas com o Iogurte Infinito daí sim a coisa se acertou de vez.
Vou deixar aqui para vocês o link do grupo do Facebook - Amigos do Kefir Oficial.  Lá se consegue muita informação sobre, bem como doação de mudas. Os Infinitos Caspian e Bulgaricus eu consegui através de doação de uma das administradoras do grupo, a Aninha :pessoa, super, hiper, mega, fofa!
Parei de usar o Kefir faz dois meses e só estou utilizando o Infinito Bulgaricus da mesma forma, ou seja em cream cheese. Não tive mais perda de peso, estou apenas mantendo os meus 65 quilos.
Não sei se iria perder mais peso se continuasse com o Kefir, resolvi por bem não arriscar... não é legal entrar nessa de perder peso sem indicação médica não é gentem.
Bem, abaixo como sempre... "fotenhas" e mais descrições.
Gentem, é claro que eu perdi muitas fotos... então.... as que tenho são apenas estas que estarão abaixo. Vou tentar descrever como comecei, mas o sr. Google está lançando as fotos fora de ordem... então... relevem, certo?!

Quando iniciamos normalmente o Kefir vem nessa forma, ou seja... os grãos de Kefir. Eles podem vir congelados, ou já descongelados. Ai irá depender do quanto próximo de seu doador estiver.

 Essa já é a fase final do preparo... relevem.... a gente sempre tem que colocar ou um tulesinho ou um pedaço de papel toalha e prender com um elástico de cabelo (como na foto) para evitar que insetos, formiguinhas, etc, entrem dentro do preparado e o contaminem.
A medida na média é de 1 colher de grãos para 300ml de leite integral.

A gente deve deixar em temperatura ambiente em um local onde não se bata no frasco, e onde ele fique "quietinho", eu deixo dentro do armário da cozinha.

 Aqui esta o Kefir que foi adicionado leite e deixado em descanso em temperatura ambiente . No caso... aqui na minha cidade leva cerca de mais ou menos 12 horas para ele ficar consistente. O Kefir irá fermentar o leite que colocarmos, e é esse fermentado que iremos preparar para o consumo. Os grãos de Kefir sempre deverão ser separados do fermentado. E são eles que serão doados.
Após as 12 horas em temperatura ambiente eles deverão ser peneirados .

 Aqui iniciando o processo de separação dos grãos do leite fermentado. Tudo com uma bela peneira, de preferencia com a trama em inox. Lá no grupo do Facebook que deixei o link dá para vocês entenderem melhor como é feito todo o processo.

 E o final é isso aí, apenas os grãos que irão novamente ser usados para fermentar mais leite, ou se você preferir, serão congelados para uma doação ou uma posterior reativação. Os grãos desta forma duram congelados mais de um ano. Nunca esquecer de identificar a data, afinal a gente guarda no freezer e se não identificar, com certeza não irá lembrar quando o fez.

Aqui o produto apos peneirado. Este está pronto para consumo após deixarmos algumas horas em geladeira. Confesso que não consegui consumir desta forma pois era muito ácido. Então a maneira que descobri para utilizá-lo foi preparando o cream cheese a partir desse.
Então você coloca esse produto agora para filtrar em um daqueles coadores de pano ou de tnt e deixa dentro da geladeira por pelo menos 12 horas.. 
A porção que permanecer dentro do coador é o cream cheese, que poderá ser misturado a uma geleia de frutas, ou a um pouquinho de sopa de cebola em pó, daquela que a gente compra no supermercado. Fica super bom. E foi desta maneira que consumi o Kefir por mais ou menos 4 meses diariamente, umas duas a três vezes ao dia.
O filtrado desse produto, é o Whey Protein que o pessoal de academia consome a rodo! Lá no grupo do Facebook o pessoal ensina receitas para utilizar esse filtrado. Ele é riquíssimo em proteínas do leite e tem várias utilizações.

Este é o Whey Protein , o que passou pelo coador. Este usam para  culinária e também para deixar o feijão de molho, para passar nos cabelos, adubar plantas (mas cuidado pois tem que ser diluído pois senão... matará suas plantinhas) e outras coisas mais...

Ah, nas minhas experiências também tentei fazer queijo a partir do Kefir. Não fica assim um "quuuuuuueeeeeijo" que estamos acostumados a comprar, mas é um queijo sim, e é totalmente natural. Dá até para cortar, mas é bem trabalhoso viu!


Aqui são os Iogurtes Infinitos, e infinitamente mais fáceis de se manipular.
O B é de Bulgaricus e este iogurte é mais consistente. O C é de Caspian e este é mais viscoso.
Eu preferi o Bulgaricus depois de ter reativado os dois que consegui por doação lá no grupo.

O processo é parecido, você recebe a muda e deve reativá-la. Aqui, para cada 1 colher serão 100ml de leite e assim por diante.
Você coloca o leite, mexe bastante para dissolver a muda no leite, cobre como no Kefir e deixa em temperatura ambiente. Aqui em casa, mais ou menos umas 6 a 8 horas e ele já esta firme. Você mexe no frasco e ele não se desmancha. Daí é só colocar na geladeira por uma hora e já está pronto para consumo. Lembrando que antes de consumir, você deve retirar 1 colher do produto para continuar com a multiplicação em um novo leite, ou para congelar para uma reativação posterior ou para doação.
Toda vez , lembrando de anotar a data de congelamento. Eu uso filme plástico para envolver o produto e guardá-lo no freezer.


Aqui eles após umas 6 horas, já estão bem firmes.
Depois de colocados na geladeira por uma hora , você também poderá fazer o cream cheese do iogurte infinito. E é a forma como estou consumindo também, ou apenas adoçar o iogurte e tomá-lo.
O processo é o mesmo do Kefir, coar no filtro e com o que ficou no coador misturar ou geleia ou algum temperinho de sua preferência.. E o filtrado que sobra é o Whey Protein... lembram?!


Aqui a forma como recebi a doação. Veio pelos Correios e foi a Aninha, administradora do Grupo Amigos do Kefir Oficial quem me enviou.


Olhem só o cuidado que ela teve em embalar para o transporte.
Grata pela eternidade a você Aninha!

Eu fiz várias coisas com esses probióticos, pães (ficam maravilhosos), iogurte Grego (é o mais consumido por aqui) , cream cheese de vários sabores.. é só usar a criatividade. Até tentei fazer o Yaculte com o Whey Protein mas não deu muito certo, gelatina também fiz, só que usando o agar agar.
Bem gentem, é uma infinidade de coisas que se pode fazer com essas belezinhas, até utilizá-las nos cabelos, na pele... mas isso ainda não testei.
Passem lá pelo Grupo do Facebook e leiam o que existe por lá. 
Com certeza, vocês irão se interessar assim como eu.